Skip to main content

Oferecer a opção de pagar com cartão é praticamente indispensável para qualquer negócio que deseje atender às necessidades do público. Porém, muitas empresas ainda cometem falhas críticas ao utilizar as vendas com cartão.

Nesses casos, o resultado se concretiza na forma de prejuízos e de dificuldades operacionais, afetando diretamente a gestão financeira. Logo, identificar tais falhas é importante para evitá-las, bem como saber quais são as soluções que podem ajudar o seu negócio. 

A seguir, veja quais são os 6 erros que ocorrem nas vendas com cartão e entenda como é possível impedir que eles ocorram!

1. Deixar de definir condições claras para o tipo de venda

Antes mesmo de realizar vendas por esse meio de pagamento, seu negócio pode cometer erros que causam grandes impactos. O principal deles envolve não se preocupar adequadamente com as condições para a venda, deixando de determinar diversos fatores importantes.

Isso significa estabelecer em quantas vezes o pagamento pode ser feito, qual é a parcela mínima, em quanto tempo os recebíveis deverão ser creditados e outras questões do tipo. A ideia é garantir que tudo seja estabelecido de acordo com as necessidades e com os interesses do negócio.

Além disso, considere quais serão os serviços contratados junto às adquirentes. Isso traz clareza sobre os custos das vendas com cartões de crédito, pois eles trazem impactos para o retorno da empresa.

2. Ignorar as taxas e cobranças das vendas com cartão

No mercado de pagamentos feitos com cartão, um dos aspectos mais relevantes consiste nas taxas que são cobradas sobre o valor de cada operação. Sendo assim, não conhecer e deixar de considerá-las é um erro recorrente que deve ser evitado.

Antes de selecionar uma empresa parceira, é importante saber quais são as taxas, incluindo as diferenças entre diferentes planos. Considere também o que muda nas vendas no débito, no crédito e no crédito parcelado. 

Essa análise ajudará a identificar a maquininha certa para seu negócio, por exemplo. Também vale observar as cobranças sobre antecipação de recebíveis. É comum que a compensação de valores em períodos diferentes gere taxas distintas.

3. Não acompanhar os chargebacks

Após serem concluídas, as vendas com cartão devem ser acompanhadas com frequência. A falta de controle é outro também está entre os erros mais comuns das empresas. Nesse caso, ignorar os chamados chargebacks pode gerar diversos problemas no futuro.

O chargeback ocorre quando um cliente faz uma compra com o cartão e, ao receber a fatura, solicita o cancelamento do pedido. É um cenário que leva a um estorno, sendo que as taxas incidentes não são devolvidas. Ainda, pode fazer o estabelecimento usar um dinheiro que foi dado como certo.

Há muitos motivos que levam ao chargeback, como erros de processamento, cobrança duplicada, não reconhecimento por parte do cliente, entre outros. Se isso não for devidamente acompanhado, a empresa pode ter saídas financeiras não identificadas.

Para evitar que o cenário se consolide, acompanhe a ocorrência dos chargebacks e, principalmente, identifique seus motivos. Assim, é possível agir na raiz do problema e prevenir impactos indesejados no orçamento empresarial.

4. Não ter medidas de proteção contra fraudes

Ao realizar vendas no cartão de crédito, é preciso ter atenção com a possibilidade de fraudes. Quando essa questão é ignorada, o negócio fica mais suscetível a transações ilegítimas, que podem resultar em prejuízos.

Desconsiderar as medidas de proteção contra fraudes também pode levar à exposição de dados sensíveis de outros clientes. Como consequência, a empresa pode ter dificuldades ainda maiores no seu gerenciamento financeiro, o que coloca em risco toda a operação.

Sendo assim, desenvolva protocolos, utilize recursos antifraudes e verifique a identidade dos compradores. Isso trará mais segurança nas transações e mais confiança em relação aos valores que são registrados no cotidiano do negócio.

5. Fazer um acompanhamento precário do registro de vendas

Uma vez que as vendas sejam realizadas, é fundamental acompanhar as informações registradas. Isso serve para entender quais foram os valores obtidos em determinado período, como o pagamento foi feito, qual é a previsão de receber os montantes, e assim sucessivamente.

Porém, não basta fazer esse acompanhamento de modo esporádico. Sem uma visibilidade constante sobre os resultados, aumentam as chances de erros e diversas situações podem passar despercebidas.

Com um acompanhamento frequente, um erro operacional seria facilmente identificado, por exemplo, o que permitiria agir de forma preventiva sobre os chargebacks. Deixar para acompanhar os valores apenas após prazos maiores, entretanto, prejudica essa capacidade de análise e de reação.

Portanto, o ideal é conferir os resultados com mais regularidade — de preferência, diariamente. Assim, é possível entender melhor os números e o comportamento dos consumidores, além de otimizar o planejamento financeiro.

6. Desconsiderar a importância da conciliação bancária

Não basta ter todos os dados das vendas registrados em seu sistema de gestão e acreditar que isso é suficiente para analisar toda a situação. Mesmo com a automatização de processos, podem ocorrer divergências em relação ao que é efetivamente recebido.

Problemas com a operadora de cartão, contratação não prevista de serviços e cobrança incorreta da adquirente são apenas alguns motivos que podem levar à discordância entre os valores. Caso o problema não seja identificado e administrado corretamente, a empresa pode sofrer prejuízos.

A melhor maneira de evitar isso é por meio da conciliação bancária das vendas com cartão. Ela consiste em comparar os registros com o extrato da conta, em busca de divergências. Esse hábito permite identificar, com clareza, valores incorretos ou que não foram previstos no controle interno.

Como prevenir prejuízos nessa modalidade de venda?

Não cometer esses erros é crucial para melhorar seus resultados com as vendas com cartão. Porém, também é preciso buscar soluções complementares para realmente reduzir os riscos de ocorrerem perdas.

Nesse sentido, a adoção de tecnologia e de processos padronizados pode ser interessante. Mais que um sistema de gestão de vendas, deve-se contar com uma solução estratégica e completa que seja voltada para a gestão financeira.

Para tanto, vale a pena recorrer a uma fintech especializada para contratar soluções ligadas à conciliação de cartões e vouchers, por exemplo. Com o processo, será possível garantir que os registros estejam realizados conforme as movimentações bancárias.

Além disso, pode ser uma forma de encontrar valores cobrados indevidamente e que dão direito à recuperação retroativa. Há outros serviços complementares que podem ajudar, como a consultoria financeira e a terceirização de atividades, incluindo o contato com a contabilidade.

Ao conhecer estes 6 erros, seu negócio pode otimizar as vendas com cartão em busca de resultados positivos. Ademais, com o suporte de soluções adequadas e da tecnologia, é possível melhorar a sua gestão financeira.

Ter o apoio de uma fintech especializada é um passo importante para o crescimento do seu negócio. Fale conosco da Gold Soluções e veja o que oferecemos!